fechar
círculos de chuva

João e o pé de feijão. É com essa referência que começamos o terceiro volume da série Dragões de Éter, Círculos de chuva, e uma guerra se inicia entre humanos e gigantes pela posse do menino que pode ser Merlim reencarnado. Vamos com Axel para a Terra do Nunca e nos surpreendemos um pouco com a versão de Raphael Draccon para o Peter Pan. Snail junta seus garotos e vai atrás do maior tesouro do mundo e acompanhamos a saga de João em seus desafios para se tornar cavaleiro.

Não preciso nem dizer que estou enlouquecida pelo último volume que o Draccon tem nos enrolado há anos, mas, ao mesmo tempo, dá uma dorzinha no coração em saber que não verei mais esses personagens tão cativantes que eu mergulhei tanto na história. Me apaixonei pela escrita do Draccon e super recomendo. Não deixem se assustar pelo tamanho dos livros, realmente, vale a pena.

[SPOILER]

Sei que era necessário, que faz todo o sentido para a história e foi isso que salvou Arzallum na guerra, mas só eu acho que o Axel devia largar aquela elfa-amazona-guerreira e sei mais lá o que e ficar com a Maria??? Apesar de tudo, torço pelos dois e espero que a Livith morra para que o verdadeiro conto de fadas se realize. Sou muito má? (rs).

[/SPOILER]

Nova Éter é um reino mágico, onde todos os nossos personagens favoritos que aprendemos a amar durante nossa infância se reúnem em histórias que se entrelaçam. Raphael Draccon se mostrou o perfeito Criador, nos envolvendo nessa trama emocionante que nos leva para longe, direto para as terras de Arzallum, ou para o alto mar no antigo navio do Capitão Gancho, ou ainda mais além, para as Terras do Nunca, onde os elfos nunca crescem, a não ser um. Somos os semideuses que fazem tudo isso existir, simplesmente, por acreditar e, enquanto continuarmos acreditando, Nova Éter permanecerá viva e mais histórias fantásticas surgirão. Agora, me dão licença, que eu vou voltar para Arzallum e ficar hospedada no Grande Paço até o próximo livro. E um… Dois… Três.

Tags : círculos de chuvadragões de éterlivroraphael dracconresenha
Fernanda Brito

Sobre Fernanda Brito

Paulista do interior vivendo o sonho da cidade grande. Estuda Tradução e sempre vai sofrer com a tal da "equivalência". Gosta de rock, pop e tudo que soar legal. Lê de tudo, mas prefere ficção, fantasia e romance. Adora assistir as adaptações dos livros e ficar comentando tudo que saiu errado.