fechar
Fogo contra fogo
Imagem: Livro Doce Livro / Google

A festa de Ano-novo terminou com uma tragédia irreparável, e Mary, Kat e Lillia podem não estar preparadas para o que está por vir. Após a morte de Rennie, Kat e Lillia tentam entender os acontecimentos fatais daquela noite. Ambas se culpam pela tragédia. Se Lillia não tivesse se apaixonado por Reevie. Se Kat não tivesse deixado Rennie ter partido sozinha. Se a vingança não tivesse ido longe demais, talvez as coisas seriam como antes. Agora, elas nunca mais serão as mesmas. Apenas Mary sabe a verdade sobre aquela noite. Sobre o que ela realmente é. Também descobriu a verdade sobre Lillia e Reeve terem se apaixonado, sobre Reeve ser feliz quando tudo o que ele merece é o sofrimento, assim como ela ainda sofre. Para Mary, as tentativas infantis de vingança ficaram no passado, ela está fora de controle e pretende sujar suas mãos de sangue, afinal, não tem mais nada a perder.

“Fogo contra fogo” é o terceiro livro da trilogia de Jenny Han  e Siobhan Vivian. No primeiro volume, “Olho por olho”, somo apresentados à Lillia, Kat e Mary, que tomam turnos na narração dos capítulos. O primeiro livro narra a volta de Mary à Ilha de Jar. A três se juntam para colocar em pratica uma vingança contra alguns de seus “ex amigos”. O segundo livro “Dente por dente”, mostra a consequência da vingança das meninas contra um dos amigos, Reeve. Infelizmente, por causa de um acidente, uma amiga próxima das meninas morre.

O terceiro livro começa exatamente no funeral da personagem. Durante o livro, somos apresentados a uma circunstância, ou até mesmo um segredo, sobre a personagem Mary que muda o rumo de todas as histórias. A sede de vingança de Mary por Reeve ainda permanece, e isso tira a menina cada vez mais do controle de suas ações. Lillia, uma das personagens principais, é quem está no momento mais confuso sem saber o que fazer. Ela vive uma batalha entre seus sentimentos e a vingança que prometeu às amigas.

A narrativa flui facilmente e provoca muita curiosidade ao leitor. O foco do terceiro volume é a descoberta de Lillia e Kat sobre quem (ou o que) Mary é e como elas vão lidar com isso. Nesse terceiro livro em específico podemos aprender a importância dos laços afetivos na vida das pessoas, especialmente adolescente. As autoras deixam também bem nítida a ideia de que é necessário refletir sobre suas atitudes e como um simples ato pode mudar a vida de alguém para sempre.

O fim do livro é totalmente surpreendente e te prende em cada palavra e decisão das personagens no meio de toda a vingança e ódio. Tudo acontece de forma muita rápida e eletrizante, com várias reviravoltas assustadoras e de tirar o fôlego.

“Os estivadores vêm correndo. Não conseguem acreditar nos próprios olhos. Sei que um deles vai acabar identificando de quem era o barco e vai chamar Kat e lhe contar que ele foi destruído. Sinto muito, Kat. Mas você sabia onde estava se metendo.Na verdade, não sinto nada. Nem um pouquinho.Elas merecem ser punidas. Agora, Reeve – ele merece muito mais. Merece morrer.”

A trilogia vale muita a pena não apenas para adolescentes, mas também adultos por se tratar de um tema atemporal descrito de uma forma muito cuidadosa e dinâmica. É necessário, porém, ficar atento aos gatilhos que a história pode provocar, já que ela é recheada de sexo, bebidas, morte, suicídio e bullying. “Fogo contra fogo” fecha de uma forma muito redonda e amarrada uma história que não permite o leitor a desgrudar do livro nem por um segundo.

Tags : featuredfogo contra fogonovo conceitoresenha
Laís Dias

Sobre Laís Dias

Olá, meu nome é Laís, tenho 22 anos e sou estudante de jornalismo. Gosto de séries, coca – cola e cachorros, mas a paixão da minha vida é escrever.