fechar
1
Foto: Estante da Lullys / Google Imagens

Lançamento da Editora Pandorga, O Francês, escrito pelo administrador de empresas, Daniel José de Carvalho, conta uma incrível história de amor entre um francês e uma descendente de indígenas tupi-guarani. Esta relação é brutalmente interrompida para ressurgir com todas as forças depois de 272 anos.

Uma parte desse caso de amor se passa no município de Carvalhos, no Estado de Minas Gerais, no ano de 2013. A outra parte se passa no Arraial dos Franceses, na Capitania de Minas Gerais, no século XVIII. O “Mon Journal”, um estranho diário, desaparece misteriosamente no ano de 1741, no Arraial dos Franceses, para ser encontrado apenas no ano de 2013 em Carvalhos. Tal diário é o elo que esclarece a relação entre os dois casais de épocas tão distantes e tão diferentes.

O autor viajou diversas vezes a trabalho, permanecendo longas temporadas em diversos países da Europa, Ásia, África, América do Norte, Central e do Sul. Essas viagens lhe deram a oportunidade de conviver com muitas famílias e pessoas de outras culturas, enriquecendo seu conhecimento da natureza humana e ajudando-o na composição dos personagens. Com 232 páginas, este romance também tem uma pitada de suspense, que fará o leitor se envolver e se encantar com a narrativa rica em detalhes.

“Se você não existisse, por que eu existiria?”

O escritor Daniel de Carvalho certamente, penso eu quando li sua biografia, se inspirou em suas inúmeras viagens para retratar a sua história: O Francês. Inicio minha resenha elucidando esta afirmativa em meus pensamentos, pois seu livro retrata uma história de amor entre jovens de lugares diferentes, França e Brasil, no interior do estado de Minhas Gerais.

O livro de duzentas e vinte e oito páginas me cativou lentamente e, através da leitura, ao descobrir que eram duas histórias de amor intercruzadas, quatro vidas entrelaçadas pelo destino vivendo e revivendo o mesmo ciclo de paixão ardente e confidente em tempos totalmente diferentes, me fez reservar um tempo maior para me dedicar ao pegar o “mon journal”

O amor constrói. O amor não mente. Uma promessa feita pelo/através do amor, pode demorar mais de cem anos, mas ela se concretiza, ao ler esse livro aprendemos este ensinamento. O amor sempre cumpre suas promessas:

“O suave som dos violinos, na extasiante e tão característica acústica da igreja, mesclava-se com os murmúrios e exclamações de encanto com a beleza.” [página 228]

Sem mais delongas, o livro: “O Francês” (Editora Pandorga), narra duas histórias de amor: no primeiro momento, Jean e Karina; uma moça do interior de Minas Gerais, nascida e criada no Arraial dos Franceses, capitania de Minhas Gerais e Jean, um francês sociólogo recém formado. Anos antes, no século XVII, Andrien e Yara interpretando o mesmo estereótipo de casal. O amor tendo a oportunidade de ser vivido duas vezes.

Como toda trama a ser desenvolvida, vários acontecimentos permeiam o andamento da narrativa dando oportunidades para o aparecimento de vários sentimentos, opiniões e reflexões sobre a história. É encantador toda abordagem histórica ilustrada com a chegada da Família Dubois no ano de 1720.

É uma leitura rica e muito doce, sem contar com a estética do livro: formidável! Os detalhes em arabescos nas páginas, a fonte da letra e até mesmo, o uso da caixa alta é possível perceber a ênfase e a jogada de ideias numa possível reconstrução de um diário e também de uma carta.

Quer descobrir o poder do amor em cumprir sua palavra?

Só consigo te dar uma resposta, leia “O Francês”.

Tags : editora pandorgaresenha
Gustavo Machado

Sobre Gustavo Machado

Encontrei meu espaço entre as letras, através de parágrafos e estrofes construi meu universo particular. Resenho livros, imagino coisas, leio e escrevo. Sou formado em Letras, um apaixonado descarado pela Literatura e Filosofia. Sou professor. Um ótimo amigo e iludido facilmente. Vamos escrever algo juntos?

4 Comentários

  1. Parabéns pela resenha, ficou maravilhosa. O livro em si não chamou minha atenção, acredito que não seria um livro que eu leria mas achei a premissa do livro bem interessante, quem sabe um dia eu não leia?

    Beijinhos

  2. As suas resenhas são sempre muito bem elaboradas e me fazem entrar na estória/história contada. Adoro a descrição detalhada do livro que nos permite ter as mesmas sensações (ou ao menos parecida) de quem efetivamente o lê.

  3. Amei a resenha! Achei a proposta do livro super interessante, não conheço muitos livros que retratem o Brasil daquela época, vou adicionar esse livro a lista de desejos 😍

  4. Parabéns pela resenha, ficou muito legal. Não conhecia este livro e achei bem interessante a história. Gosto de livros de romance.

Comentários fechados.