fechar
evento-lançamento-contos-de-inverno-beco-literário

Na noite de sábado, 06, aconteceu o lançamento da saga literária Contos de Inverno, da mineira, escritora, pedagoga, atriz e artista marcial, Thais Oliveira. A Rainha Negra, seu primeiro livro e primeiro da saga, narra a busca de Emmeline Wotton, uma jovem de uma família inglesa muito influente da era vitoriana, por seu irmão gêmeo Richard Wotton, que desapareceu misteriosamente em uma noite de inverno.

O evento iniciou-se com um lindo discurso de uma velha conhecida da escritora Thaís: sua professora de teatro, que relembrou os momentos ao lado da autora e as suas percepções a respeito do potencial da mesma. Em seguida, Thaís fez os agradecimentos, em especial ao seu pai, que acreditou em seu sonho, custeando a publicação do seu livro; e a sua irmã, Thamires Oliveira, que foi a ilustradora do livro. Posteriormente, a antiga trupi de teatro das irmãs apresentou uma adaptação de um conto de autoria da escritora para uma antologia de sua agência – AZO. Ao final da apresentação teatral, iniciou-se a sessão de autógrafos, e sentamos para fazer algumas perguntinhas para a escritora mineira.

Beco Literário: De onde surgiu a inspiração para escrever a saga Contos de Inverno?
Thaís Oliveira:
Inspirado pelo clássico de C.S. Lewis As Crônicas de Narnia, Contos de Inverno nasceu como uma fanfic, até ser moldado em uma historia própria, com trama independente. Eu mesma me surpreendo em ver o quanto minha obra cresceu e evoluiu do original, mas eu acho interessante mencionar que eu nunca comecei essa obra com o intuito de escrever um livro, mas para mim a estória ficou tão boa que eu não podia esquecê-la, então a eternizei em paginas.
BL: Os seus personagens são adaptações reais ou do seu imaginário?
TO: De tudo um pouco, eu gosto muito de usar pessoas reais nos meus escritos, eu acredito que isso dá mais vida ao personagem quando o leitor está apreciando a escrita. Tem muitos amigos e familiares meus nas paginas do meu livro, mas também tem muitos sonhos e anseios pessoais no temperamento de cada um. Eles são inspirados em pessoas reais, com um toque pessoal de imaginação.
BL: Como surgiu a oportunidade de lançar o livro?
TO: Não foi algo que “surgiu”, eu corri muito atrás pra acontecer, mas uma coisa que eu descobri logo de cara é: Editora alguma quer saber de você se você está começando agora. Não é nada pessoal, eles só não vão apostar em um Zé ninguém que acaba de aparecer. No entanto, uma editora muito renomada me aconselhou a procurar um agente literário e foi então que eu conheci a AZO, uma agencia maravilhosa que confiou no meu trabalho e fez uma produção excelente no meu lançamento independente, visando tornar minhas obras conhecidas para uma editora.
BL: O que foi indispensável para a realização desse seu sonho?
TO: Apoio. Eu não teria feito nem metade do que eu fiz sem as pessoas que me ajudaram, sem meu pai que acreditou no meu talento e bancou cada centavo desse livro e sem a equipe maravilhosa que trabalhou comigo dentro e fora da minha cidade (Teófilo Otoni). A prefeitura municipal me deu um apoio gigantesco com divulgação e ao compor uma noite bastante cultural como eu sempre sonhei. Meus amigos que entraram de cabeça na divulgação e na organização do evento, realmente sem ajuda eu não teria feito nada.
BL: O que você sentiu ao ver o seu sonho resumido em 385 páginas?
TO: Você já imaginou ver sua vida em um filme? Foi essa sensação que eu tive ao ver o livro impresso, eu reconheço cada uma daquelas palavras como momentos da minha vida, eu lembro o que eu sentia escrevendo cada uma delas. Hoje, quem carrega um exemplar de Contos de Inverno, carrega um pedaço da minha historia e de quem eu sou.
BL: O que você espera que o leitor sinta ao ler Contos de Inverno: A Rainha Negra?
TO: Quando escrevemos, colocamos nossa essência nas paginas, colocamos quem somos, o que sentimentos, o que vemos. Para mim, a maioria das pessoas esqueceu de olhar para a vida em sentido microscópico, tudo passa pelas pessoas tão depressa que elas não percebem as pequenas coisas que compõem nossa vida, mas eu ainda percebo, ainda sinto, ainda vejo e eu gostaria de relembrar as pessoas disso.
BL: Quais são os escritores que você admira? E quais as obras que você considera ser as melhores do universo?
TO: Minha maior referencia é indubitavelmente J.K. Rowling, não apenas por sua saga maravilhosa, pelo universo detalhadamente trabalhado, mas como também por sua historia de vida. Devo admitir que sou muito voltada aos autores do passado: Oscar Wilde, Shakespeare, as irmãs Brontë e no Brasil, Monteiro Lobato. Mas isso não exclui os grandes autores atuais. Para mim os melhores livros do universo são a saga Trono de Vidro de Sarah J. Mas, o conhecido Crônicas de Gelo e Fogo de George R.R. Martin, e como eu sou fã de historia e de segunda guerra mundial, o belíssimo A Luz Através da Janela de Lucinda Riley.
BL: Nesses últimos dias você deu diversas entrevistas, mas o que nunca te perguntaram e você gostaria de responder?
TO: Eu creio que eu gostaria que me perguntassem “o que um novo escritor precisa saber?”, porque aí eu escreveria um manual (risos). Pois quando eu comecei eu fiquei completamente perdida, ninguém me dava uma resposta e eu não sabia a quem recorrer, eu também estava totalmente por fora das técnicas de escrita e de todas as coisas “profissionais” que os autores estão fazendo atualmente. O mercado literário é um aquário muito maior do que eu poderia imaginar, e eu pulei nele sem boia.
BL: Conte-nos mais sobre o seu projeto, que busca valorizar as produções artísticas nacionais.
TO: É notável que as pessoas não valorizam o que é produzido no Brasil, se o filme é nacional é ruim, se a musica é nacional é ruim, se a serie é nacional é ruim e se o livro é nacional ninguém nem lê. E eu admito que por muito tempo fiz parte dessas pessoas que pensam assim, mas uma coisa que eu aprendi foi que nossa cultura é tão rica quanto qualquer outra no mundo, mas por ser cotidiano nem nos importamos em prestar atenção. Por isso eu estou montando uma “força tarefa” de artistas regionais, inicialmente para montar uma revista virtual, um site para mostrar esses talentos e mais para frente eu pretendo montar um projeto para varias antologias com talentos regionais e nacionais, para fazer com que todos percebam o quão rica e importante é a nossa própria cultura.

 

Kit do livro sorteado na noite de lançamento

Como se faz visível na entrevista, a escritora afirmou que com o lançamento da sua obra pretende despertar a arte regional e nacional em rumo à valorização das expressões artísticas brasileiras e, sobretudo, mineiras. Para tal, a autora disse estar firmando parcerias com artistas em toda Minas Gerais. Em seguida, convidou a poetisa Isabella Langkamer a expressar sua arte através de uma poesia que escreveu exclusivamente para o lançamento da saga Contos de Inverno.

Em breve teremos resenha do livro A Rainha Negra e você pode conferir mais informações sobre o livro e outros títulos da Thaís no seu site, clicando aqui. E você pode nos responder nos comentários a pergunta que autora lhe desafia a refletir durante essa aventura: “até onde você iria por quem você ama?”.

 

Tags : featuredlançamentoslivros
Yago Souza

Sobre Yago Souza

Mineiro do interior buscando o sonho da medicina. Escritor e designer na calmaria. Adora ler e assistir ficções, fantasias e suspense. Sempre acha um tempinho sobrando para colocar as séries em dia. Vive nessa constante loucura, mas é extremamente feliz.

2 Comentários

  1. Geente, que matéria linda <3 Obrigada Yago pelas perguntas à Thais e por tudo! Pessoinhas deem uma olhadinha no site lá depois pra ler a sinopse e ver se vocês se interessam, juro pra vocês que está tudo muito lindo e caprichoso! Tudo pra vocês!! <3 By: a Ilustradora

Responder