fechar
ColunasLiteratura

O “bug” da literatura: a revolução das Fanfics

O “BUG” DA LITERATURA: A REVOLUÇÃO DAS FANFICS
Imagem: TheVerge / Google Imagens

Começo esse texto com a descrição da palavra Fanfics, de acordo com o site Significados é: “Fanfic é a abreviação da expressão inglesa fanfiction, que significa ”ficção de fã” na tradução literal para a língua portuguesa.” “ … Os fãs desses produtos se apropriam do mote da história ou dos seus personagens para criarem narrativas paralelas ao original.“

Em outras palavras, se parece muito com o bicho-papão de nome plágio. Mas quando se aprende melhor sobre esse mundo se percebe que não há plágio ou cópia de idéias, aqueles que tomam tais atitudes são duramente repreendidos e até mesmo alguns sites ou domínios podem expulsar suas idéias ou usuários.

A idéia de fanfic ou fanfiction surgiu na década de 70 nos EUA, mas viralizou no Brasil a partir da publicação da saga de Harry Potter no país. A construção de um texto, história, baseado em uma história principal publicada por um autor específico. Isso é fanfic. Reinventar uma história dentro de um universo já inventado por um escritor/escritora, sem ambicionar lucro, apenas exibir aquela ideia de um determinado ponto de uma história para que outros fãs compartilhem de determinado texto.

Aqui no Brasil, particularmente falando, participei do Bug das Fanfics. A saga Harry Potter antigamente, tanto quanto As Crônicas de Gelo e Fogo atualmente, não era uma saga completa. J. K. Rowling ainda escrevia cada livro, enquanto nós tupiniquins esperávamos um ano ansiosamente pela publicação do livro, exportação e tradução para o nosso português.

E o que fazer no tempo de espera? Vasculhar na Internet toda e qualquer informação sobre a saga. E como os sites de pesquisa são sempre tão eficazes em passar informações, não foi muito difícil descobrir sites em que haviam histórias publicadas sobre a saga que eu mais amava e acompanhava, com histórias dos meus personagens favoritos de um jeito totalmente novo. Com um olhar diferente do que eu lia nos livros da J. K.

Desse modo, surgiu em mim a vontade de ver personagens que na saga original e única não se envolvem, envolvidos. Personagens que morreram, serem ressuscitados das mais diversas maneiras e modos. Personagens malvados tornarem-se mocinhos e vice-versa. Eis a grande capacidade da Fanfic.

Não é apenas a vontade de escrever que desperta dos fãs. É a inovação de uma história, a exploração de personagens e lugares e objetos de um jeito novo e também único. A fanfic também é a forma mais barata, rápida e inteligente de permitir aos fãs saírem do seu casulo de expectadores e se formarem escritores.

Alguns escritores de sucesso hoje, que tem suas próprias sagas, já foram escritores de fanfics. Um exemplo é a escritora norte americana Cassandra Clare. Ela é a escritora e criadora da saga Os Instrumentos Mortais. Mas bem antes disso ela já escrevia fanfics baseadas nas obras de O Senhor dos Anéis e Harry Potter.

Assim, percebe-se que escrever fanfics, se tornou uma porta de entrada. Porta essa mais larga para que mais e mais pessoas comecem a construção de seus textos. É como como diz a máxima: “Quanto mais se lê, melhor se escreve e quanto melhor se escreve, mais se sabe.” Portanto, essa revolução de fanfics só pode nos apresentar novos talentos e idéias para contribuir ainda mais com a Literatura Mundial.

Tags : becolabfanfics
Carol S. Santos

Sobre Carol S. Santos

Vivo de romances em livros, porque eles não machucam o meu coração, só os corações das personagens envolvidas. Também vivo de aventuras em universos paralelos ou longínquos demais do nosso. E já viajei para Paris, minha cidade-luz favorita mais vezes em livros do que realmente gostaria na vida real.

1 comentário

Comentários fechados.