fechar
Postagens 1

Tess e Gus foram feitos um para o outro. Só que eles não se encontraram ainda. E pode ser que nunca se encontrem. Tess sonha em ir para a universidade. Gus mal pode esperar para fugir do controle da família e descobrir sozinho o que realmente quer ser. Por um dia, nas férias, os caminhos desses dois jovens de 18 anos se cruzam antes que os dois retornem para casa e vejam que a vida nem sempre acontece como o planejado. Ao longo dos dezesseis anos seguintes, traçando rumos diferentes, cada um vai descobrir os prazeres da juventude, enfrentar problemas familiares e encarar as dificuldades da vida adulta. Separados pela distância e pelo destino, tudo indica que é impossível que um dia eles se conheçam de verdade… ou será que não? O Primeiro Dia do Resto da Nossa Vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.

 

O Primeiro dia do Resto da Nossa Vida é um livro sobre o destino e como mesmo tomando diferentes decisões, estamos onde deveríamos estar.

 

O livro gira em torno da vida de Tess e Gus, acompanhando cada decisão, cada momento, cada descoberta. Os personagens são incríveis e as histórias bem reais, daquelas que você já ouviu falar ou que se encaixariam perfeitamente na sua vida. Por isso é um livro fácil de se identificar. Os personagens secundários, apesar de serem apenas coadjuvantes são aqueles que desenvolvem a trama quando achamos que nada vai acontecer, eles aparecem. Bem desenvolvidos, mas rasos. Portanto, não se apegue a eles.

Ele trata daquela parte do romance que quase nunca vemos, a expectativa, os momentos antes do primeiro encontro que muda a vida dos personagens, de como tudo conspira e os levou a chegarem ali. Em vários momentos eles se encontram no mesmo lugar mas o mistério do livro é realmente esse, se eles ficarão ou não juntos. O ponto de vista de cada um, a narrativa singular, faz com que a história cresça. O amadurecimento dos personagens durante a leitura é evidente. Nos fazendo assim conhecer a história de cada um e torcendo para um encontro a cada capítulo.

Porque se você acha que alguém é seu Par Perfeito e ele não for, então talvez você tenha perdido a chance de encontrar sua alma gêmea de verdade…

É um romance diferente, com uma narrativa atemporal e íntima. Nos leva a questionar várias vezes as situações problemáticas e reais do livro. Você acaba torcendo por um casal que nem se conhece ou sequer vai se conhecer. Você acaba desejando, mais do que o final feliz, que cada um consiga superar seus problemas e ser realmente feliz.

As mensagens que o livro carrega, a reflexão, foram alguns dos pontos que me surpreenderam. A autora soube trabalhar bastante o simbolismo, os pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

Às vezes, as melhores coisas estão bem debaixo do seu nariz. Entende o que quero dizer?

Vale muito a pena a leitura! Destino, histórias que se entrelaçam, a expectativa, vemos que apesar dos desencontros, dos problemas que cercam a nossa vida, tudo tem o tempo e o momento certo de acontecer. O primeiro dia do resto de nossas vidas é todo dia!

Tags : Kate EberlenO Primeiro dia do resto da nossa vidaromance
Carolina Aguiar

Sobre Carolina Aguiar

Estudante de comunicação, apaixonada por animais, café e atitudes. Fotógrafa por amor e profissão. Decidida, tem uma personalidade mais forte do que os cafés que ela gosta. Sonhadora, desbocada e com um coração enorme. Amante de esporte, vídeo game e devaneios em uma mesa de bar. Acredita que quem quer dá um jeito e solidão não é sinônimo de sozinha. Vive aí contado suas histórias e cotidiano.

Responder