fechar
Resenhas

Resenha: Boa Noite, Pam Gonçalves

CAPA-Boa-Noite Beco

Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação – em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa

Boa Noite é o primeiro livro solo publicado pela publicitária e booktuber Pam Gonçalves que já havia publicado antes juntamente com mais três booktubers, Bel Rodrigues e os meninos do canal Pedrugo, o livro O Amor nos Tempos de #Likes.

Boa Noite irá trazer até nós a vida de Alina, uma jovem tímida e nerd que acabou de sair da casa dos pais pela primeira vez para morar em outro lugar, a República das Loucuras, uma república próxima a Universidade onde Alina irá estudar Engenharia da Computação. A partir daí a vida de Alina muda completamente, algo que ela já esperava, afinal de contas foi por isso que ela escolheu uma universidade longe de casa, por ter a esperança de que longe dali ela poderia ser quem quisesse, que poderia ser alguém totalmente diferente.

“Muita gente fala que a faculdade é a oportunidade ideal para escolher quem você quer ser. E não é que já estou vendo alguma verdade nessa afirmação?”

Ao chegar na república onde vai morar ela conhece seus novos colegas de moradia, Manu, Gustavo, Talita e Bernardo. O grupo que é bem diferente entre si logo se mostra cativante e aceita Alina de braços abertos fazendo de tudo para que ela passe pelas melhores experiências que uma caloura pode passar, conhecendo festas e caras pela universidade. É nessas festas que acontecem coisas que acabam mudando a vida de Alina não tão positivamente quanto ela esperava. Ao descobrir que várias garotas estão sendo abusadas durante as festas e que drogas estão sendo usadas para que todo o abuso seja realizado Alina se ver em um momento difícil da sua vida ao querer ajudar, mas sem saber o que fazer .

No meio de tudo isso Alina ainda precisa enfrentar o machismo em sua turma, composta quase que completamente por homens, que jorra piadas machistas e misóginas todos os dias com o intuito de fazer Alina e suas outras 3 amigas, as únicas mulheres da sala, desistirem do curso. Entretanto, ao se depararem com um desafio estabelecido por um professor, as garotas encontram não apenas uma oportunidade de provar para toda a turma que são sim dignas de está ali, mas também de ajudar as garotas que estão sendo abusadas na Universidade.

Confesso que Boa Noite foi uma grande surpresa para mim. Mesmo eu já tendo lido e amado o conto da Pam publicado em O Amor nos Tempos de #Likes antes de ler Boa Noite e também já ser um grande fã do seu trabalho, inicialmente com o blog Garota It e depois com o seu canal no youtube, peguei o livro para ler sem muitas expectativas, acho que por ser o primeiro livro solo dela acabei tendo um certo receio de criar muitas expectativas e no final não ter meus anseios satisfeitos. Mas foi aí que a Pam me surpreendeu.

Ao ver que o livro trataria de estupro e assédios dentro das universidades já comecei a me preparar psicologicamente pra enfrentar O drama, imaginei que fosse ser aquele tipo de livro que me faria mergulhar em melancolia e que acabaria de ler com aquele aperto forte no peito, porém a autora conseguiu retratar um tema forte de forma delicada. Por mais que seja uma discussão totalmente séria ela conseguiu trata-la com uma leveza que nos mostrou que isso pode sim ser um assunto debatido em qualquer momento, não apenas em rodas de discussões mais sérias, a cultura do estupro e o machismo pode e deve ser discutido no bar entre amigos, no intervalo da faculdade ou enquanto come uma pizza com os amigos.

Boa Noite nos mostrou também a força da sororidade, mostrou o quanto a união feminina trás benefícios. Vemos a força da mulher representada no despertar da Alina para a luta feminina dentro das universidades contra o machismo, a luta por poder ir em uma festa sem ser assediada, por poder dançar simplesmente porque gosta de dançar e não porque está se oferecendo para alguém. Vemos a força da mulher também representada na Manu que enfrenta fantasmas de um passado com abusos e preconceitos. Vemos a força da mulher em várias outras personagens marcantes criadas por Pam Gonçalves que nos mostram o quanto as mulheres necessitam ser fortes para colocarem os pés fora de casa ainda hoje e enfrentarem esse mundo que ainda tem muito o que melhorar. O livro trás, muito além dessas questões femininas, discussões sobre preconceito, homofobia e bullying, tudo isso com uma leveza que eu não imaginava que fosse encontrar ali.

A escrita de Pam é totalmente fluída e leve, ela aborda temas pesados de forma mais delicada entremeada de momentos divertidos para que possamos ver o avanço e o crescimento de Alina dentro dessa nova vida longe da família e em um lugar totalmente novo tendo que enfrentar os problemas do dia a dia de um universitário e as dificuldades de uma mulher em um mundo machista sem toda aquela carga pesada de uma drama que, apesar de trazer boas reflexões sobre o tema, não nos deixaria tão feliz com o final do livro como Boa Noite deixou.

No mais, o livro nos apresenta personagens cativantes, empolgantes e que nos fazem pensar sobre o que aconteceu com eles antes e depois de Boa Noite e torcer para que a Pam volte a escrever sobre eles um dia, não como uma continuação de Boa Noite, mas com seus próprios livros e histórias.

Se você quiser conhecer o canal da Pam deixo um vídeo dela abaixo pra vocês:

Kemen Wellisson

Sobre Kemen Wellisson

Kemen é um futuro bibliotecário, começou seu vicio por leitura desde cedo com revistas e mais tarde descobriu seu verdadeiro amor nos livros, sobretudo os de fantasia.

Responder